Castração

15

fev, 2013

11b DSC_2792

Castração de cães sem-teto (baseado no livro Viver o amor aos cães)

Com os moradores do canil esterilizados, e a também os cães aí adotados, a SLPA iniciou a castração em massa de cães errantes de Lavras. Até setembro de 2014, 600 foram castrados. Seus braços maternais se abriram a esse trabalho pesado, considerando uma dádiva ajudar a resolver questões da saúde pública.

Recolher cães andantes é difícil. Diz a veterinária da Prefeitura: Coordeno a equipe de apreensão quinzenal, sempre a acompanho para ensiná-la a nova prática de contenção animal, que lida com carinho. As antigas capturas no laço eram traumatizantes. Estacionamos em um bairro, observamos o cachorro, perguntamos no comércio e aos passantes se faz parte de alguma família. Devagarzinho agradamos com um pedacinho de salsicha até por a cordinha no pescoço. Uns são ariscos e correm, mas a maior parte é tranquila, aceita colo. São colocados na caixa de transporte e encaminhados para o Parque.

Antes de serem castrados, permanecem dias em baias, a fim de se fortificarem com água e boa alimentação. A veterinária faz uma rigorosa avaliação clínica, na qual tem detectado tumor venéreo transmissível (TVT), leishmaniose visceral canina (LVC), anemia, entre outras doenças. Além disso, vermifuga-os, trata contra pulgas, carrapatos e sarna. Finalmente separa os doentes e depauperados para serem tratados antes da castração. As gestantes permanecem até dar a luz e desmamar as crias, que são doadas aos domingos na Praça. Em seguida, são castradas.

Sábado sim, sábado não, um incêndio de amor arde a Casa de Cura. Antes um cirurgião, hoje a cirurgiã convidada esteriliza de 30 a 40 cães. Usa a técnica do gancho, que tanto permite a redução do custo e da quantidade de instrumental cirúrgico, quanto do tempo da cirurgia e do pós-cirúrgico.

Ela é apoiada por uma amorosa equipe de voluntários, que trabalha em silêncio com ritmo: alguns buscam o cão. O contato físico com quem o carrega e os toques de mãos ao ser deitado na mesa onde recebe o pré-anestésico promovem um efeito calmante.

Antes de serem levados para a sala cirúrgica, são anestesiados, raspa-se o pelo do local da incisão e têm a orelha tatuada com uma mancha de anilina, para futura identificação dos castrados. Terminada a intervenção, são carregados e deitados com delicadeza em cobertores da enfermaria até retornarem da anestesia.

Envoltos por música de Mozart e corações flamejantes, permanecem adormecidos na cálida sala-ninho. Sua temperatura é controlada e, caso os corpinhos esfriem, são aquecidos com bolsas e garrafas de água quente. Aproveita-se a anestesia para cortar as unhas, limpar orelhas, dar gotinhas salvíficas, acarinhar. Trazem-nos alegria e damos alegria a eles. A vida é paz!

Permanecem no Parque no mínimo mais sete dias, quando são retirados os pontos e recebem o reforço de vermífugo, antipulgas, anti- carrapatos e sarnicida. Após o minucioso processo, alguns são adotados, os doentes ficam em tratamento, os idosos se integram à família-Parque e os demais são reencaminhados ao ponto da captura.

Mais um Sim em glória ao reino animal.

Dúvidas e mitos sobre castração

A castração de cães e gatos, fêmeas e machos, é uma cirurgia que impede a procriação, tornando-os estéreis. Deverá ser feita por um médico veterinário sob o efeito de anestesia geral a partir dos quatro meses de idade. No caso da fêmea recomenda-se que seja antes do primeiro cio.

Castração parece uma palavra agressiva, mas o procedimento é realizado em uma única vez, ao passo que impedir a cada cio que o animal cruze, mantendo-o com os instintos para isso, representa para ele um sofrimento e uma constante frustração.

A esterilização do macho é mais fácil e rápida, a cirurgia dura em média cinco minutos e requer menos cuidados no pós-operatório. A esterilização das fêmeas dura em média quinze minutos e requer alguns dias de atenção após a cirurgia, até a completa cicatrização.

Muitos veterinários utilizam nova técnica para a esterilização das fêmeas, na qual o corte é menor, tornando a cirurgia e a recuperação mais rápidas.

Como funciona?

Nas fêmeas, a cirurgia consiste na retirada do útero, trompas e ovários; nos machos, na retirada dos testículos.
Por que esterilizar/castrar seu animal?

Esterilize seus animais e ajude a educar a população sobre essa necessidade como ato de amor e responsabilidade. Só assim se diminui o número de animais abandonados e sacrificados, evitando-se crias indesejadas, pois a principal causa do abandono é o descontrole populacional.

Curiosidades reprodutivas

  • Após seis meses de vida, tanto os machos quanto as fêmeas podem reproduzir.
  • O ciclo menstrual da cadela é de 180 dias.
  • O ciclo reprodutivo (cio) é de 15 dias.
  • A menstruação dura 11 dias.
  • A ovulação dura quatro dias.
  • A gestação dura 60 dias.
  • Cada fêmea canina pode ter dois partos por ano, em torno de 16 filhotes ao ano. Em seis anos, ela e seus descendentes podem gerar 73.000 animais.
  • Cada fêmea felina pode ter três partos por ano, em torno de 15 filhotes ao ano.

Vantagens da castração

  • Diminui drasticamente o risco de doenças nas vias uterinas e principalmente o câncer de mama, útero, próstata e testículos. Pesquisas mostram que, quanto mais cedo for realizada a castração, menores as chances da fêmea desenvolver câncer de mama. A castração também previne o surgimento de piometra, doença frequente em fêmeas adultas.
  • Elimina a gravidez psicológica, estado presente em algumas fêmeas após o término do cio, o que ocasiona aumento das mamas (muitas vezes com edema) com produção de leite e irritabilidade.
  • Diminui o risco das fugas e brigas.
  • Acaba com os latidos, uivos e miados, que ocorrem por ocasião do cio.
  • Elimina os estados de excitação por falta de cruzamentos – e o embaraço gerado com as visitas.
  • Nas cadelas, elimina a inconveniente perda de sangue no período de cio, assim como as desagradáveis reuniões de machos na porta de sua residência.
  • Diminuiu o hábito dos gatos de urinar em paredes e móveis para demarcar território. A urina também perde o odor forte e desagradável.

Mitos sobre a castração

  • Castração engorda? O animal não engorda devido à castração, e sim pela diminuição de suas atividades físicas, necessitando, portanto, mais exercícios.
  • Não posso pagar: O custo da operação será amplamente compensado por futuros custos com alimentação, vacinas e outros gastos com o animal gestante e crias, bem como eventuais complicações no parto ou despesas com cirurgias e medicamentos decorrentes de doenças em animais não castrados (por exemplo, piometra). Há clínicas que realizam castrações a preços reduzidos ou facilitam o pagamento. Existem também campanhas de castração gratuita. Procure o Centro de Controle de Zoonoses de sua cidade.
  • Sempre acho a quem doar os filhotes: Nem sempre isso é verdadeiro. É mais comum a atitude de querer se livrar de um problema. Para que deixar novos filhotes nascerem se não há lares suficientes para os que já existem?
  • Ele não tomará mais conta de casa: Os animais castrados não perdem o instinto de proteger seu território. Por outro lado, perde o indesejável costume de urinar em diversos cantos. Também ficam mais caseiros, deixando de se envolver em brigas na disputa de fêmeas.
  • Mas ela precisa ter pelo menos uma cria: Ter uma cria não acrescenta saúde ao animal.
  • Meu animal vai sofrer: A cirurgia feita sob anestesia geral é indolor. Dentro de um ou dois dias o animal estará brincando e retomará as atividades normais.
  • Estarei interferindo na natureza do meu animal: O animal segue apenas o instinto. Você é seu guardião e deve intervir e prevenir nascimentos indesejados, agindo da maneira correta. O animal será beneficiado, e não subtraído de algo.

 

Compartilhe: